Salão Moto Brasil encara paralisações e faz grande evento

Independente do setor, grandes eventos precisam de tempo para saírem do papel. Disponibilidade de local, expositores, atrações, apoiadores… é preciso encontrar um tempo em comum entre todos e avisar o público de quando o evento acontecerá. Mas, e se for preciso não apenas adiar a data mas fazê-lo com só uma semana de antecedência? Foi a essa prova que a oitava edição do Salão Moto Brasil se submeteu – e superou.

Público em direção às bilheterias do Salão Moto Brasil. Mesmo realizado em nova data, evento reuniu mais de 70 mil pessoas no Rio de Janeiro - Foto: Marcus Vini Fotos

Público em direção às bilheterias do Salão Moto Brasil. Mesmo realizado em nova data, evento reuniu mais de 70 mil pessoas no Rio de Janeiro – Foto: Marcus Vini Fotos

O evento estava programado para ocorrer de 24 a 26 de maio, mas precisou ser adiado em virtude da greve dos caminhoneiros que afetou todo o Brasil nas últimas semanas. Mesmo assim, levou mais de 73 mil pessoas à capital carioca e reuniu grandes marcas do setor, bem como atrações que garantiram o entretenimento durante todo o evento. Assim, sagrou-se como um dos maiores eventos do motociclismo no calendário nacional.

Mais de 100 motos estavam expostas, representando as principais marcas do País - Foto: Marcus Vini Fotos

Mais de 100 motos estavam expostas, representando as principais marcas do País – Foto: Marcus Vini Fotos

Segundo a organização, nem o adiamento apagou o brilho do Salão Moto Brasil que tem como objetivo gerar negócios, entretenimento, educação e turismo. De acordo com a Rioplan, empresa responsável pela realização, “esta edição reagendada mostrou a união do setor: expositores se mantiveram e o público compareceu, mesmo com toda a dificuldade que o país viveu naqueles dias. Apesar do número expressivo de visitantes, a queda de 25% em relação ao último ano ocorreu justamente devido aos acontecimentos conturbados no cenário nacional”.

Salão Moto Brasil marca o lançamento das motos SWM no Brasil

Depois de mais de um ano de espera, enfim as motos da SWM chegaram ao Brasil. Parceria com a importadora Muteki possibilitou a vinda de motos bigtrail, de enduro e até clássicas - Foto: Marcus Vini Fotos

Depois de mais de um ano de espera, enfim as motos da SWM chegaram ao Brasil. Parceria com a importadora Muteki possibilitou a vinda de motos bigtrail, de enduro e até clássicas – Foto: Marcus Vini Fotos

O evento sediado no Riocentro contou com a exposição de mais 100 motos, distribuídas em 104 estandes, e algumas delas pisaram em solo brasileiro pela primeira vez. Estou falando da SWM, marca italiana que firmou parceria com a importadora Muteki e escolheu o Salão para apresentar alguns de seus modelos ao nosso mercado. A empresa lançou no Rio modelos big trail, de enduro e até clássicas (saiba mais sobre preços e características das motos aqui). A Muteki também levou ao evento peças das marcas Vesrah, JT Sprockets, Potenza, Orkaan, SBS, Ariete, Regina, entre outras.

Evento teve espaço dedicado ao Maio Amarelo, música e muito mais

Uma das novidades dessa edição foi a realização do evento no mês dedicado ao Maio Amarelo, movimento internacional de conscientização para redução de acidentes de trânsito. “Fizemos nossa parte e continuaremos fazendo nas próximas edições e sempre que possível. Segurança e educação no trânsito estão entre nossos pilares e sempre teremos espaço para elas”, ressalta Gustavo Lorenzo, organizador do Salão Moto Brasil.

Além de montar um stand com mais de 300m² (aqui antes da abertura oficial do evento), a Honda realizou cerca de 600 test rides em sua área externa de 2.500m², com modelos de baixa e alta cilindradas - Foto: Divulgação/Salão Moto Brasil/VGCOM

Além de montar um stand com mais de 300m² (aqui antes da abertura oficial do evento), a Honda realizou cerca de 600 test rides em sua área externa de 2.500m², com modelos de baixa e alta cilindradas – Foto: Divulgação/Salão Moto Brasil/VGCOM

Além disso, o público se encantou e também pode curtir o Festival Moto Brasil Jazz & Blues, que teve shows diários no palco instalado junto à Praça de Alimentação, em uma área de 2,5 mil m². A iniciativa contou com a realização da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro, Secretaria da Cultura e Lei Municipal de Incentivo à Cultura (Lei do ISS) e patrocínio do Grupo Assim Saúde e Grupo AB.

Um grande palco para o melhor do Rock e Blues não poderia faltar! - Foto: Divulgação/Salão Moto Brasil/VGCOM

Um grande palco para o melhor do Rock e Blues não poderia faltar! – Foto: Divulgação/Salão Moto Brasil/VGCOM

Gabriel Almeida venceu o concurso de customização de capacetes

Gabriel Almeida venceu o concurso de customização de capacetes

Alguns concursos também foram realizados ao longo do evento. Uma parceria entre a organização e a Estácio de Sá, viabilizou 20 alunos de Design Gráfico da universidade a participaram do concurso de customização de capacetes, vencido por Gabriel Almeida, com o tema ‘Lobo’. Já o 4º Bike & Art Show apresentou obras de 12 customizadores que ficaram expostas durante os três dias de evento. Eric Nobre (Redlab Garagem, do Rio de Janeiro) foi o vencedor no voto popular. Customizador da Maria, moto oficial do Salão Moto Brasil, Leo Dalla (Circumano Design, de Vitória/ES) ganhou no júri técnico.

salao-moto-brasil-logo-final

O Salão Moto Brasil teve como apoiadores institucionais Estácio, DETRAN-RJ, Operação Lei Seca, CET-Rio e FMCRJ (Federação de Motoclubes do Rio de Janeiro). E, como patrocinadores, o Grupo Assim, Santander / Mastercard.

Separador_motos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *